top of page

Pontos gatilhos miofasciais - Milo-hioideo


Pontos gatilhos miofasciais - Milo-hioideo


Aspectos anatômicos relevantes do músculo milo-hioideo


Figura 1 - localização anatômica do milo-hioideo. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013


Inervação: nervo milohioideo (nervo mandibular).

Origem: tendão curto da linha milo-hióidea da mandíbula.

Inserção: rafe milo-hióidea e margem superior do corpo do osso hióide.

Funções:

  • Levanta o assoalho da boca e a língua (deglutição).

  • Abaixa a mandíbula.

  • Levanta o osso hióide.

Sintomas associados ao ponto gatilho miofascial

Figura 2 - localização dos pontos gatilhos miofasciais do milo-hioideo. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


Dificuldades em engolir.

Dor na região superior do pescoço.


Pontos gatilhos e seus pontos de acupuntura correspondentes

Pontos gatilhos

Localização

Dor referida

Pontos de acupuntura

​1 e 2

Todo o assoalho da boca

Área da laringe, face anterior do pescoço, área da boca língua, dificuldades de deglutição

Avaliação clínica

Durante a anamnese deve ser questionada as características e a localização da dor. Em muitas situações pode haver dificuldade para comer.

Na inspeção, o paciente pode apresentar endurecimento do assoalho da boca.

Ao exame físico, deve ser realizada a palpação do assoalho da boca entre o dedo indicador (intraoral) e o polegar (extraoral); se o assoalho da boca for macio, o tônus muscular é fisiológico.


Considerações sobre o músculo milo-hioideo

Os músculos supra-hióideos formam uma unidade funcional que também é freqüentemente afetada e dificulta a delimitação em partes musculares individuais.

A respiração bucal noturna pode se causa da tensão.


Abordagem terapêutica não invasiva

A terapia manual para o tratamento de pontos gatilhos do milo-hioideo pode ser feito com o uso de abordagens extraoral e intraoral.


Alongamento

Figura 3 - Técnicas de alongamento do músculo milo-hioideo. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


O paciente deve ficar posição supina, cabeça levemente elevada, reclinada. Deve ser realizada a tração entre o queixo e a cartilagem tireóide (esquerda) ou massageie e alongue no comprimento do músculo com os dedos (direita).


Procedimentos de fisioterapia

Uso de placas de oclusão, termoterapia (tanto calor quanto frio).


Técnicas de infiltração

A infiltração dos pontos gatilhos do músculo milo-hióideo é mais segura se utilizado a guia da ultrassonografia (Figuras 4, 5 e 6). O assoalho da cavidade oral é formado pelo músculo milo-hióideo, eu tem o formato de uma lâmina quadrilateral composta por dois ventres, cujas fáscias inferiores estão em contato com a fáscia anterior do músculo digástrico, a glândula submandibular e a fáscia cervical superficial. A face superior está em contato com os músculos genio-hióideo e higlosso, a glândula sublingual e os nervos lingual e hipoglosso (Figura 6).

Figura 4 - Varredura sagital do espaço submandibular, que mostra o músculo platisma (1), a glândula submandibular (2) e sua extensão lingual (3), os músculos milo-hióideo (4) e hioglosso (5), as tonsilas palatinas (6), e o músculo esternocleidomastóideo (7). Adaptado de: Gervasio A, D'Orta G, Mujahed I, Biasio A. Sonographic anatomy of the neck: The suprahyoid region. J Ultrasound. 2011 Sep;14(3):130-5. doi: 10.1016/j.jus.2011.06.001. Epub 2011 Jun 29. PMID: 23396801; PMCID: PMC3558093.

Figura 5 - Imagem coronal do espaço sublingual, que mostra a glândula sublingual (1), o corpo da mandíbula (2), os músculos digástrico (3), milo-hióideo (4), genio-hióideo (5) e genioglosso (6); e a rafe hiperecóica da língua (7). Adaptado de: Gervasio A, D'Orta G, Mujahed I, Biasio A. Sonographic anatomy of the neck: The suprahyoid region. J Ultrasound. 2011 Sep;14(3):130-5. doi: 10.1016/j.jus.2011.06.001. Epub 2011 Jun 29. PMID: 23396801; PMCID: PMC3558093.

Figura 6 - Imagem coronal do assoalho da boca e base da língua: mostra os músculos milo-hióideo (1), genio-hióideo (2) e genioglosso (3); a rafe da língua (4), o corpo da língua (5), o músculo digástrico (6), as glândulas sublinguais (7) e o corpo da mandíbula (8). Adaptado de: Gervasio A, D'Orta G, Mujahed I, Biasio A. Sonographic anatomy of the neck: The suprahyoid region. J Ultrasound. 2011 Sep;14(3):130-5. doi: 10.1016/j.jus.2011.06.001. Epub 2011 Jun 29. PMID: 23396801; PMCID: PMC3558093.


Como a acupuntura (VC21) e as técnicas de relaxamento manual são altamente eficazes, a infiltração pode ser evitada, especialmente porque pode ser uma experiência estressante para o paciente.


Uso das técnicas de acupuntura para o tratamento dos pontos gatilhos miofasciais do masseter


Acupuntura Chinesa Clássica

Pontos locais e locorregionais (também contralaterais): TA17, VC23, pontos Ashi (cautela no agulhamento).

Pontos distais: VC21 (relaxamento do assoalho da boca).


Técnicas de microsistema

Auriculoterapia: articulação temporomandibular, maxilar, mandíbula, ponto Jérôme.

Cinturão linfático: ponto esternal específico VC20/VC21.


Técnica de Kiiko Matsumoto

Se a palpação de E41 for dolorosa: E43 e E44.

Em alguns casos, a dor pode ser aliviada em E41 e no músculo milo-hióideo por agulhamento de R3 e R27 ipsilateral.

Em alguns casos R7, R27 e B11 em ambos os lados; B11 verticalmente à fibra muscular e para baixo com o fluxo do meridiano; ângulo para R27 10° na direção da articulação esternoclavicular.


Tratamento psicológico e técnicas de relaxamento

Exercícios de relaxamento.

Realizar massagem na área correspondente aos pontos de acupuntura R27 e VC21.


Técnicas para autocuidados


Automassagem

Figura 7 - Técnica de automassagem do milo-hioideo. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.

As palmas das mãos devem ficar voltadas para cima, com a polpa dos dedos ao longo do músculos, deslizando os dedos ao longo das fibras para os lados.


Medidas adicionais

Reclinação.

Automonitoramento do apertamento dos dentes (identificadas através da presença de marcas de dentes na língua).


Referências bibliográficas:

  1. Gervasio A, D'Orta G, Mujahed I, Biasio A. Sonographic anatomy of the neck: The suprahyoid region. J Ultrasound. 2011 Sep;14(3):130-5. doi: 10.1016/j.jus.2011.06.001. Epub 2011 Jun 29. PMID: 23396801; PMCID: PMC3558093.

  2. Hammi C, Schroeder JD, Yeung B. Trigger Point Injection. [Updated 2022 Nov 25]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2023 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK542196.

  3. Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.

  4. Mohamed Elbarbary M, Oren A, Goldberg M, Freeman BV, Mock D, Tenenbaum HC, Azarpazhooh A. Masticatory Myofascial Pain Syndrome: Implications for Endodontists, J Endodontics, 48 (1), 2022, 55-69. https://doi.org/10.1016/j.joen.2021.10.004.

  5. Urits, I., Charipova, K., Gress, K., Schaaf, A. L., Gupta, S., Kiernan, H. C., … Viswanath, O. (2020). Treatment and Management of Myofascial Pain Syndrome. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology. doi:10.1016/j.bpa.2020.08.003.

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page