Ulmeira


O INTUITO DA POSTAGEM É EDUCACIONAL E SE BASEIA NOS CONHECIMENTOS DA MEDICINA TRADICIONAL. A AUTO-MEDICAÇÃO DEVE SER EVITADA E A AVALIAÇÃO MÉDICA É DESEJÁVEL ANTES DE SE UTILIZAR AS PLANTAS MEDICINAIS.


A ulmeira possui folhas basais com 5 pares de folíolos, medindo cerca de 2 cm. Pétalas menores, 2-5 mm. Peludo, perene, com caules simples ou ramificados até 2 m. Raízes sem tubérculos. A inflorescência é geralmente mais longa do que larga. Flores brancas com estames, maiores que as pétalas. Floresce de junho a julho. Vive em locais muito úmidos, pântanos, prados higroturbosos em toda a Europa.


Nome científico: Filipendula ulmaria.

Nomes comuns: filipêndula, ulmeira, erva-ulmeira, ulmária, olmeira, rainha-dos-prados- erva-das-abelhas, grinalda-de-noiva, aspirina vegetal e barba de bode.

Parte da planta utilizada: Flores.

Composição: salicilato de metila, flavonóides, taninos, óleo essencial.

Ação farmacológica: sudorífico, diurético, analgésico.

Indicações: frio, febre.

Contraindicações: alergia ao salicilato.


Modo de uso: aqueça 1/4 litro de água até ferver e despeje sobre 2 colheres de chá de ulmeira e deixe em infusão por 10 minutos. Tome 2 xícaras por dia.


#fitoterapia #ulmeira #filipendula #medicinatradicional #medicinaintegrativa #saudeintegrativa #plantasmedicinais

Referência bibliográfica:

López PM. Manual práctico de fitoterapia. Descripción de las plantas medicinales y preparación de remédios naturales. Guíasprácticas Nº 4. Plantasmedicinales.net, 2017

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo