Passiflora


O INTUITO DA POSTAGEM É EDUCACIONAL E SE BASEIA NOS CONHECIMENTOS DA MEDICINA TRADICIONAL. A AUTO-MEDICAÇÃO DEVE SER EVITADA E A AVALIAÇÃO MÉDICA É DESEJÁVEL ANTES DE SE UTILIZAR AS PLANTAS MEDICINAIS.


A passiflora é uma planta perene de crescimento rápido com caules de escalada. É um membro do grupo de maracujás do gênero Passiflora. Sua principal característica é a forma peculiar de suas flores. É uma trepadeira pubescente que atinge de 6 a 9 metros de comprimento com raiz perene. Tem gavinhas que o ajudam a subir. As folhas são divididas em três lóbulos finamente dentados e peciolados. As flores são aromáticas e grandes, com 5 cm de diâmetro, são produzidas solitárias em um longo pedúnculo, são brancas, amareladas ou carnudas com tons roxos. Seu fruto também é conhecido como maracujá, uma baga amarela do tamanho de um ovo que fica laranja quando madura.


Nome científico: Passiflora incarnata.

Nomes comuns: passiflora, flor-da-paixão, maracujá-rosado.

Partes da planta utilizadas: planta inteira, exceto as raízes.

Composição: fitosterol, óleo essencial, flavonóides.

Ação farmacológica: ansiolítica, sedativa.

Indicações: insônia, ansiedade, nervosismo.

Contraindicações: alergia a algum dos seus componentes.


Modo de uso: aqueça 1/4 litro de água até ferver e despeje sobre 2 colheres de chá de passiflora e deixe em infusão por 10 minutos. Tome 3 xícaras por dia.


Alguns estudos sugerem que a passiflora pode auxiliar no controle de sintomas físicos e psíquicos de pacientes com doenças neuropsiquiátricas, pode ter um efeito similiar ao midazolam para controlar a ansiedade em pacientes que irão ser submetidos à extração dentária, e pode melhora o padrão de sono em pessoas que sofrem de insônia.


#fitoterapia #passiflora #medicinatradicional #medicinaintegrativa #saudeintegrativa #plantasmedicinais

Referência bibliográfica:

  1. Christoffoli MT, Bachesk AB, Farah GJ, Ferreira GZ. Assessment of Passiflora incarnata L for conscious sedation of patients during the extraction of mandibular third molars: a randomized, split-mouth, double-blind, crossover study. Quintessence Int. 2021 Oct 19;52(10):868-878. doi: 10.3290/j.qi.b1492199.

  2. Dantas LP, de Oliveira-Ribeiro A, de Almeida-Souza LM, Groppo FC. Effects of passiflora incarnata and midazolam for control of anxiety in patients undergoing dental extraction. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2017 Jan 1;22(1):e95-e101. doi: 10.4317/medoral.21140.

  3. Janda K, Wojtkowska K, Jakubczyk K, Antoniewicz J, Skonieczna-Żydecka K. Passiflora incarnata in Neuropsychiatric Disorders-A Systematic Review. Nutrients. 2020 Dec 19;12(12):3894. doi: 10.3390/nu12123894.

  4. Lee J, Jung HY, Lee SI, Choi JH, Kim SG. Effects of Passiflora incarnata Linnaeus on polysomnographic sleep parameters in subjects with insomnia disorder: a double-blind randomized placebo-controlled study. Int Clin Psychopharmacol. 2020 Jan;35(1):29-35. doi: 10.1097/YIC.0000000000000291.

  5. López PM. Manual práctico de fitoterapia. Descripción de las plantas medicinales y preparación de remédios naturales. Guíasprácticas Nº 4. Plantasmedicinales.net, 2017

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo