Os sabores e a Medicina Tradicional Chinesa


A alimentação é fundamental para a manutenção da energia física e espiritual de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa e é a base para uma vida saudável e para o melhor funcionamento dos órgãos vitais. Por outro lado, uma má alimentação pode levar a desarmonia dos órgãos e vísceras, que, por sua vez, pode comprometer suas funções fisiológicas. Além disso, o uso de determinados tipos de alimento de acordo com o padrão de adoecimento, pode ser importante estratégia auxiliar de tratamento.

Na visão da Medicina Tradicional Chinesa, o mundo é formado por uma energia, o Qi e uma das formas do nosso organismo adquirir o Qi é através do consumo de alimentos. A partir da alimentação, o Qi é utilizado para formação do Xue, o sangue energético, e os fluídos corporais.

O tratamento das desarmonias energéticas e das doenças através dos alimentos é conhecido com dietoterapia chinesa ou dietoterapia energética, na qual as propriedades dos alimentos são vistas de acordo com seu aspecto energético e através da sua interação com os respectivos órgãos.

Os sabores, de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, são o azedo, amargo, doce, picante e salgado e estão relacionados aos Órgãos e Vísceras, como listados abaixo, e a ingestão adequada de alimentos de todos os grupos promove o equilíbrio e a saúde do corpo. Quando há desarmonias energéticas ou doenças, deve se fazer um ajuste na proporção dos alimentos de cada sabor, para auxiliar no seu tratamento.

Outro aspecto relevante nesta abordagem é a consideração da teoria dos cinco elementos, nas quais se incluem a geração e dominância.


A partir do momento no qual é feito o processo de digestão, a energia proveniente do alimento correspondente a cada sabor é encaminhada para seu respectivo Órgão e, quando há um equilíbrio do consumo alimentar, isso reflete na harmonia energética e na saúde. Entretanto, o excesso ou a falta de ingestão de determinados alimentos, pode levar a um desequilíbrio energético, que, por sua vez, pode desencadear um processo de adoecimento.

Além disso, o consumo de alimentos com determinados sabores pode contribuir ou prejudicar a função dos órgãos em desequilíbrio energético.

De acordo com as leis de geração e de dominância, alguns sabores são contraindicados conforme a desarmonia dos Órgãos, conforme listado abaixo.

Os cinco sabores e suas características


Sabor Doce


Elemento: Terra

Relacionamentos: Baço-Pâncreas / Estômago

Efeitos:

Aquecimento, fortalecimento, harmonização, relaxamento e umedecimento. O doce tem o efeito de complementação mais forte no corpo (desejo por “doces” depois de exercícios físicos e sobrecargas emocionais ou mentais).

Aplicação geral

O sabor doce fortalece principalmente o Qi do Baço-Pâncreas, onde acumula energia. Também ajuda na fraqueza aguda (apetite violento). Com seu efeito umedecedor, os alimentos doces nutrem os fluidos corporais, aliviam a tensão interna (comer compulsivo, comer demais devido ao estresse emocional) e estabilizar o “centro interior” (fase da terra).

Atenção:

O excesso de sabores doces prejudica o QI do Baço-Pâncreas e produz umidade patogênica. Isso pode, com o tempo, levar a problemas de fleuma, por exemplo, bronquite recorrente, sinusite, fadiga crônica, sensação de embotamento na cabeça. Através da lei da dominância, o excesso de sabor doce pode enfraquecer os rins, resultando em desordens dos ossos e dentes.


Sabor Picante


Elemento: Metal

Relacionamentos: Pulmão / Intestino grosso

Efeitos:

Move o Qi, revigora a circulação de energia, remove a estagnação, dispersa, abre os poros, libera da superfície os fatores de doenças do exterior e produz a transpiração.

Aplicação geral:

O sabor ácido fortalece os pulmões e elimina os fatores de doenças do exterior, especialmente o vento frio. Seu efeito de produção de suor e capacidade de abrir poros são úteis durante a fase aguda de um resfriado (gengibre). Alimentos moderadamente picantes durante os meses de inverno oferecem excelente proteção contra resfriados. Devido ao seu efeito revigorante no Qi, os sabores picantes afrouxam a estagnação emocional e os problemas respiratórios associados (aperto no peito). Com sua tendência a mover o Qi para cima, sabores picantes são benéficos na presença de tensão emocional, como tristeza, melancolia e desânimo (emoções relacionados ao Pulmão).

Atenção:

Pessoas com sintomas de calor devem evitar assiduamente sabores picantes. O excesso provoca sintomas de calor e pode prejudicar a pele (secura, alergias, comichão na pele, alergia ao sol). Pela lei da dominância, os sabores picantes podem danificar principalmente fígado e vesícula biliar (Ascenção do Yang do Fígado, que se manifesta com irritabilidade, hiperatividade, distúrbios do sono). Sabores picantes dispersam espírito (Shen), resultando em inquietação interna, hiperatividade e distúrbios do sono. Através da lei da geração, a essência do Rim pode superaquecer, causando desejo sexual exagerado e compulsões sexuais. Pode enfraquecer o tônus ​​muscular e causar ressecamento no intestino grosso (constipação).


Sabor Salgado


Elemento: Água

Relacionamentos: Rim / Bexiga

Efeitos:

Esfria, umedece, reduz a pena, amolece, afrouxa

Aplicação geral:

O consumo de alimentos com sabor salgado, com moderação, suplementa a função renal, promove a excreção de urina e fezes, dissolve congestões e áreas endurecidas (por exemplo, nódulos subcutâneos, acumulação de fleuma).

Atenção:

O seu consumo excessivo é fácil de ser atingido e desidrata o corpo, danifica fluidos, sangue e o sistema vascular (provocando hipertensão), endurece os músculos e danifica os ossos. Através da lei da dominância, inibe o coração e o espírito (Shen), diminui as habilidades mentais e leva a um pensamento rígido.


Sabor azedo


Elemento: Madeira

Relacionamentos: Fígado / Vesícula biliar

Efeitos:

Adstringente, reúne e preserva fluidos

Aplicação geral:

Alimentos ácidos refrescam o corpo, reduzem a transpiração excessiva, promovem a criação de fluidos e acalmam os temperamentos “quentes” ao resfriar o “calor” emocional no fígado e na vesícula biliar. O sabor azedo também suplementa o Yin. Em tempos de estresse emocional e raiva, o sabor azedo deve ser favorecido, porque complementa o Yin do Fígado. O efeito suplementar dos sabores azedos é movido para o elemento do coração (através da lei de geração). O sabor azedo se move para dentro e auxilia nos cuidados de pessoas com mentes distraídas, sem foco ou estilos de vida inquietos.

Atenção:

O sabor azedo é contra-indicado quando as condições meteorológicas externas agudas (vento-frio) afetam o corpo. Quando os efeitos patogênicos ainda estão localizados nas camadas externas do corpo, os sabores azedos puxam esses fatores para camadas mais profundas. Isso piora o curso da doença e reduz o sucesso do tratamento. A terapia de escolha para resfriados é o uso de alimentos com sabor picante, que abrem poros, promovem a transpiração e eliminam fatores patogênicos da superfície do corpo. Excesso de sabores azedos danificam o tônus ​​muscular e retraem os tendões e devem ser evitados quando sofrem de reumatismo não articular e artrite.


Sabor amargo


Elemento: Fogo

Relacionamentos: Coração / Intestino delgado

Efeitos

Secagem, endurecimento

Aplicação geral

Suporta funções digestivas e excreção do corpo. Suplementa o Yin do Coração e tem um efeito calmante, especialmente após estresse e tensão mental. Sabores quentes e amargos na forma de aperitivos, ou licores amargos, estimulam os órgãos digestivos, especialmente em combinação com sabores amargos. Lei de geração): O amargo (fogo) suplementa o Baço-Pâncreas e o Estômago. Sua propriedade de secagem impede a formação de umidade em todo o corpo. Quando tomado em doses adequadas, o amargo é um Qi tônico do baço, de preferência durante o tempo úmido e frio.

Atenção:

O excesso de frio-amargo tem um forte efeito laxante e causa diarreia. O excesso de sabores amargos e quentes desidratam (pele seca), danificam os fluidos (especialmente a falta de sangue, pouca circulação), danificam a textura, aquecem o coração e inibem o espírito. pela lei da geração, o excesso de calor na fase de fogo é movido para a fase da terra, onde pode causar danos ao Baço- Pâncreas e Estômago. Um sintoma frequentemente visto na prática é o “calor do estômago” (MTC).


Referências:

  1. Kastner, J. Chinese Nutrition Therapy - Dietetics in Traditional Chinese Medicine. Thieme 2004

  2. Lee YY, Tsai CC, Chiou CP. Traditional Chinese medicine dietary regimens for the elderly. Hu Li Za Zhi. 2010 Apr;57(2):16-9

  3. Liang Y, Lin C, Huang S, Xu Y. Traditional Chinese Medicine and Intestinal Microbiota: A Complementary and Integrative Health Approach to Ameliorate Obesity-Related Diseases. Holist Nurs Pract. 2019 Sep/Oct;33(5):259-265.

  4. Zou P. Traditional Chinese Medicine, Food Therapy, and Hypertension Control: A Narrative Review of Chinese Literature. Am J Chin Med. 2016;44(8):1579-1594.

0 visualização

Todos os Direitos Reservados ©2019 by medicofisiatra.com.br. Para uso de algum dos conteúdos entrar em contato conosco.