Recomendações básicas da dietética energética


O caminho para hábitos alimentares saudáveis

A dietética energética baseada nos conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa e a observação prática durante séculos apresenta um amplo espectro de recomendações práticas e valiosas para uma dieta saudável.

Além de escolher os alimentos de forma correta e prepará-los de forma adequada, a nutrição energética também enfatiza hábitos alimentares saudáveis , que está inserida nas melhores práticas para melhora do equilíbrio global do organismo ao longo da vida.


Atitude interior e meio ambiente


Comer com prazer e em um ambiente agradável

Comer com prazer e em um local agradável e sem distrações externas cria excelentes condições para um bom aproveitamento do Qi dos alimentos. Sentimentos e o humor positivos geralmente promovem um bom fluxo de Qi. Durante as refeições, os sentimentos positivos permitem o fluxo livre de Qi do Estômago e do Baço-Pâncreas, o que apóia o processamento suave dos alimentos e a integração eficaz do Qi alimentar ao corpo.

Conversas, discussões e distrações exaustivas (TV, rádio, leitura) sobrecarregam o Estômago e o Baço-Pâncreas, que são especialmente sensíveis a tensões emocionais, como meditação, preocupações, raiva e medo. As emoções negativas bloqueiam e enfraquecem o Qi dos órgãos digestivos, resultando em perda de apetite, inchaço, regurgitação e dor de estômago.

A exposição contínua do Estômago e do Baço-Pâncreas ao estresse emocional pode causar sérios distúrbios alimentares e problemas digestivos, como obesidade, bulimia, anorexia ou úlcera gástrica.

Ao experimentar emoções fortes, é aconselhável adiar a refeição até que elas desapareçam. Os alimentos devem sempre ser ingeridos no momento adequado, facilitando a digestão. Adiar comer e ser capaz de digerir alimentos é melhor do que comer muito cedo e não ser capaz de digerir. Os problemas digestivos são acompanhados de problemas, enquanto uma boa digestão liberta a pessoa da preocupação.

Alimentos bem mastigados estimulam o Qi do baço, satisfazem a fome mais rapidamente e evitam a obesidade.

Sonolência ou sensação de sobrecarga não devem aparecer após uma refeição. Após refeições excessivamente grandes, todo o Qi e o Sangue do corpo são puxados para o Aquecedor Central para lidar com o excesso. Isso inicialmente resulta em inchaço e sonolência e, em caso de excesso prolongado, enfraquece os órgãos digestivos e causa Umidade.


Recomendações gerais


Métodos de cozimento

A dietética chinesa recomenda sempre “desbloquear” todos os alimentos, usando métodos de cozimento apropriados para torná-los mais acessíveis e digeríveis para o corpo. Isso protege o Qi do Aquecedor Central e permite uma transformação mais eficaz do Qi alimentar. Por exemplo, os grãos precisam ser cozidos antes de serem consumidos.

A Medicina Tradicional Chinesa recomenda que alimentos crus e frutas sejam consumidas com moderação, ao contrário de algumas visões ocidentais, pois esses alimentos são energicamente muito frios e podem causar deficiência do Aquecedor Central quando consumidos em excesso. O consumo destes alimentos é recomendado quando fazem parte de dietas específicas de tratamento ou durante a fase Yang do verão.


Quantidade de alimentos

50-80% - Grãos - constituem a parte principal de uma dieta saudável na dietética energética, por exemplo, milho, cevada, milho, aveia, arroz, trigo-vermelho, trigo

30-40% - Legumes cozidos - por exemplo, cenoura, batata, erva-doce, feijão, couve, legumes (feijão e lentilha).

5% - Carnes - por exemplo, carne bovina, cordeiro, carne de caça. As carnes de aves ou de peixe são melhores opções pois são mais fáceis de digerir e desenvolvem menos umidade.

5% - Alimentos crus - saladas e frutas devem constituir apenas uma pequena porção da dieta geral, devem ser mais consumidas durante o verão.

A Medicina Tradicional Chinesa recomenda a ingestão de apenas pequenas quantidades de líquido (Yin) durante as refeições. O excesso de líquido apaga o Fogo digestivo do Estômago. A maior parte da ingestão diária de líquidos deve ser consumida entre as refeições.


Qualidade dos alimentos

Alimentos frescos, não industrializados, cultivados e produzidos naturalmente são considerados mais valiosos na Medicina Tradicional Chinesa. O consumo de alimentos frescos devem ser a maior prioridade, porque os alimentos frescos contêm mais Qi e desenvolvem de maneira ideal seu efeito térmico específico.

Os métodos de processamento industrial e a maioria dos conservantes desnaturam o Qi, o que prejudica a qualidade dos alimentos. Na dietética energética, esses alimentos têm Qi fraco ou deficiente e são energeticamente inferiores.

Evitar: alimentos contaminados, vísceras, alimentos altamente processados, aditivos alimentares, açúcar refinado e adoçantes, alimentos congelados e uso de micro-ondas.

O açúcar refinado deve ser substituído por adoçantes naturais, como açúcar de cana cru (por exemplo, rapadura), mel, xarope de pera, melaço de cana de açúcar, manteiga de maçã ou cana de açúcar.


Sabor

A "voz interior" do corpo muitas vezes revela instintivamente qual sabor é de significado especial. Como parte de um estilo de vida equilibrado, pode-se ceder a essa inclinação sem hesitar.

Exemplo: o desejo por doces faz sentido durante o exaustivo trabalho mental ou forte esforço físico, pois o sabor doce tem o efeito suplementar mais forte e regenera o Qi mais rapidamente. No entanto, a preferência óbvia e unilateral por um sabor único por um período mais longo é um indicador de diagnóstico para um potencial desequilíbrio. Se um paciente, por exemplo, ao longo de meses ou até anos parece preferir sabores doces, isso pode indicar desarmonia do elemento terra, refletindo um distúrbio subjacente do Estômago e do Baço-Pâncreas.


Qualidade térmica energética

Os alimentos de natureza térmica equilibrada devem ter preferência na dieta diária: neutra, quente ou fria, dependendo das horas do dia, das estações do ano, dos fatores bioclimáticos e da constituição.

Alimentos picantes, especiarias e ervas quentes podem ser usadas generosamente para apoiar o Estômago e o Baço-Pâncreas na sua função digestiva. Combinar alimentos frios e energéticos com alimentos quentes é muito benéfico, por exemplo, salada de tomate com queijo feta, pimenta e alho.

Alimentos quentes e frios são extremos térmicos e são empregados com moderação, a menos que sejam usados ​​para tratar especificamente padrões iniciais ou estabelecidos de desarmonia.

Exemplo: mudança repentina no clima, com fator patogênico vento-frio

  • Sintomas: começando frio com tremores, aversão ao frio, espirros. Extremidades frias requerem energia Yang para se defenderem do Frio patogênico externo e transportam o Qi de defesa para a superfície.

  • Terapia nutricional: especiarias picantes, como gengibre, alho, pimentão, canela, pimenta, chá quente com especiarias, vinho quente e sopas temperadas com ácido fazem sentido durante esses períodos.

O uso excessivo dos dois extremos energéticos, quente e frio, não é recomendado, pois eles podem causar facilmente padrões patológicos de desarmonia Yang ou Yin.

Referência:

  1. Kastner, J. Chinese Nutrition Therapy - Dietetics in Traditional Chinese Medicine. Thieme 2004

7 visualizações

Todos os Direitos Reservados ©2019 by medicofisiatra.com.br. Para uso de algum dos conteúdos entrar em contato conosco.