top of page

Pontos gatilhos miofasciais - Digástrico


Pontos gatilhos miofasciais - Digástrico


Aspectos anatômicos relevantes do músculo digástrico

Figura 1 - localização anatômica do digástrico. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013


Inervação:

  • ventre anterior: nervo milo-hioideo (nervo mandibular (V/3)).

  • ventre posterior: ramo digástrico (nervo facial).

Origem:

  • ventre posterior: incisivo mastóideo do osso temporal, tendão intermediário no corno pequeno do osso hióide.

Inserção:

  • ventre anterior: fossa digástrica da mandíbula.

Função: abaixamento da mandíbula, levantamento ou fixação do osso hióide; suporta o músculo milo-hióideo.


Sintomas associados ao ponto gatilho miofascial

Figura 2 - localização dos pontos gatilhos miofasciais do digástrico. À esquerda o ponto gatilho do ventre posterior e à direita o ponto gatilho do ventre anterior.

  • Restrição da abertura da boca associada à presença de dor.

  • Dor irradiada na inserção do músculo esternocleidomastóideo até a região da orelha.

  • Dor na área dos dentes anteriores inferiores e na crista alveolar que os acompanha.

  • Dor dorsal ao ângulo mandibular.

  • Dificuldades em engolir, com sensação de “nó na garganta”.

Pontos gatilhos e seus pontos de acupuntura correspondentes

Pontos gatilhos

Localização

Dor referida

Pontos de acupuntura

​1

Ventre posterior

Porção superior do músculo esternocleidomastóideo

​2

Ventre anterior

Dentes inferiores frontais

Avaliação clínica

Na anamnese algumas informações como as características da dor, a presença da dor de ouvido e a restrição da abertura da boca são importantes para se pensar na presença de pontos gatilhos do músculo digástrico. A existência de dor na região do esternocleidomastóideo pode sugerir dor miofascial ligada ao digástrico.

Na inspeção, em algumas circunstâncias, há um leve inchaço ventral e posterior da mandíbula.

Ao exame físico, quando se realiza a palpação extraoral, avaliam-se o ventre anterior, que está localizado medialmente à conexão submandibular da mandíbula, e o ventre posterior, que se encontra na região retromandibular e medial ao ângulo mandibular.

Em algumas situações, a solicitação da avaliação odontológica pode ser necessária.


Considerações sobre o músculo digástrico

Como a glândula parótida está próxima do músculo digástrico e há a presença de linfonodos locais, um diagnóstico diferencial importante é a parotidite.

Na presença de dor miofascial associada ao digástrico, é interessante buscar o acomentido de outros músculos supra-hióideos, pois eles também são frequentemente afetados.


Abordagem terapêutica não invasiva

Para a realização da terapia manual para o tratamento do ponto gatilho do digástrico deve ser feita a liberação dele através da pressão. No ventre posterior, deve ser realizada uma pressão diretamente abaixo e medialmente ao ângulo mandibular na direção do processo mastóide. No ventre anterior, deve ser pressionada a mandíbula com o polegar dentro da boca e o indicador fora dela.

O uso de placas de oclusão dental e a termoterapia podem ser úteis.


Técnicas de infiltração

Para realizar a infiltração deste músculo recomenda-se a guia de ultrassonografia. O agulhamento seco pode ser feito com segurança.

Figura 3 - corte longitudinal ultrassonográfico do ventre anterior do músculo digástrico (figura à esquerda). Corte transversal ultrassonográfico do ventre anterior do músculo digástrico. H - osso hióide; M - mandíbula. Adaptado de: Coclici A, Roman RA, Bran S, Crasnean E, Baciut M, Dinu C, Hedesiu M. Ultrasound dimensional changes of the anterior belly of the digastric muscle induced by orthognathic surgery and botulinum toxin A injection in Class II malocclusion. Oral Radiology 2021, 37(4), 625–630. doi:10.1007/s11282-020-00502-6.

Figura 4 - Imagem ultrassonográfica do ventre posterior do músculo digástrico. A sonda de ultrassom é mantida transversalmente ao longo do ventre posterior do digástrico, com a estrela vermelha demonstrando a veia jugular interna e o quadrado verde denotando a artéria carótida externa. Adaptado de: Pescarini E, Butler DP, Perusseau-Lambert A, Nduka C, Kannan RY. Targeted chemodenervation of the posterior belly of digastric muscle for the management of jaw discomfort in facial synkinesis. Journal of Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery 2021. doi:10.1016/j.bjps.2021.05.045.


Uso das técnicas de acupuntura para o tratamento dos pontos gatilhos miofasciais do masseter


Acupuntura Chinesa Clássica

Pontos locais e locorregionais (também contralaterais): TA17, VC23, ID17.

Pontos distais: VC21 (relaxamento do assoalho da boca), TA4, TA5.


Técnicas de microsistema

Auriculopuntura: articulação temporomandibular, maxilar superior, maxilar inferior, ponto Jérôme.

Cinturão linfático: ponto esternal específico VC20, VC21.


Técnica de Kiiko Matsumoto

Agulhamento de E30 ipsilateral (em um ângulo de 45° na direção do osso púbico).

Se a palpação da VB38 (ponto Fogo) for dolorosa, realizar o agulhamento da VB43 (ponto Água) e VB44 (ponto Metal).

Se os dedos dos pés estiverem frios, estimulação com moxa ou moxabustão indireta para

aquecer os dedos dos pés.

Em alguns casos, agulhar TA5 e VB41 (para pulso rápido) ou TA9 e VB40 para melhora.


Tratamento psicológico e técnicas de relaxamento

Utilizar técnicas de estimulação da região correspondente aos pontos de acupuntura R27 e VC21 geralmente são boas opções para relaxar.


Técnicas para autocuidados


Automassagem

Figura 5 - Técnica de automassagem do digástrico. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


Automassagem da região retromandibular e submandibular deve ser realizada pelo paciente com as pontas dos dedos. Realizar o deslizamento dos dedos ao longo do músculo ou massagear com os polegares abrindo e fechando a boca.


Medidas adicionais

Evitar perpetuar fatores desecadeadores do problema, como mastigar gomas de mascar de forma excessiva, mastigar apenas de um lado.


Referências bibliográficas:

  1. Coclici A, Roman RA, Bran S, Crasnean E, Baciut M, Dinu C, Hedesiu M. Ultrasound dimensional changes of the anterior belly of the digastric muscle induced by orthognathic surgery and botulinum toxin A injection in Class II malocclusion. Oral Radiology 2021, 37(4), 625–630. doi:10.1007/s11282-020-00502-6.

  2. Hammi C, Schroeder JD, Yeung B. Trigger Point Injection. [Updated 2022 Nov 25]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2023 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK542196.

  3. Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.

  4. Mohamed Elbarbary M, Oren A, Goldberg M, Freeman BV, Mock D, Tenenbaum HC, Azarpazhooh A. Masticatory Myofascial Pain Syndrome: Implications for Endodontists, J Endodontics, 48 (1), 2022, 55-69. https://doi.org/10.1016/j.joen.2021.10.004.

  5. Pescarini E, Butler DP, Perusseau-Lambert A, Nduka C, Kannan RY. Targeted chemodenervation of the posterior belly of digastric muscle for the management of jaw discomfort in facial synkinesis. Journal of Plastic, Reconstructive & Aesthetic Surgery 2021. doi:10.1016/j.bjps.2021.05.045.

  6. Urits, I., Charipova, K., Gress, K., Schaaf, A. L., Gupta, S., Kiernan, H. C., … Viswanath, O. (2020). Treatment and Management of Myofascial Pain Syndrome. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology. doi:10.1016/j.bpa.2020.08.003.

70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page