top of page

Pontos gatilhos - Masseter - técnicas para autocuidado


Técnicas para autocuidados para pacientes com pontos gatilhos miofasciais do músculo masseter


Exercícios para auto alongamento

Figura 1 - exercício de alongamento do masseter no qual se realiza uma tração suave em dois pontos da cabeça. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


O objetivo deste exercícios é realizar uma tração suave seja exercida na direção anterior e caudal, conforme Figura 1.


Automassagem

Figura 2 - Técnica de automassagem para relaxamento do masseter. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.



O músculo masseter deve ser palpado ao longo do seu trajeto, após isso, pode ser feita uma massagem circular, com movimentos de amassamento ao longo do músculo. Em sequência, pode ser feita uma leve compressão do ventre muscular, com um dedo intraoral e um dedo extraoral. Pode ser feito o deslizamento dos dedos na margem da dor. A automassagem pode ser feita duas vezes por dia, com duração total de cinco a dez minutos.


Exercício de coordenação

Figura 3 - Exercícios de coordenação dos movimentos do masseter. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


O seguinte exercício pode contribuir para treinar a coordenação da abertura da boca. O paciente aperta um palito de higiene dental de madeira entre os incisivos médios superiores e inferiores. Ao abrir a boca, a parte inferior deve se mover em uma linha vertical paralela a parte superior. Se não for possível apertar a madeira, alternativamente, um ponto colorido na ponta do nariz e no queixo pode servir como pontos de referência. A boca deve ser aberta sem demonstrar nenhum desvio visível.

Os movimentos laterais também podem ser treinados da mesma maneira. Nesse caso, o ponto de referência se move uniformemente para o canto inferior direito ou esquerdo. O exercício de coordenação treina a interação dos músculos da mastigação e promove a percepção da própria posição da mandíbula. O exercício de coordenação e espátula pode ser aplicado a todos os músculos da mastigação.


Exercício da espátula

Figura 4 - Exercícios da espátula para o alongamento dos masseteres com encurtamento. Adaptado de: Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013.


O exercício da espátula é indicado se houver encurtamento dos músculos. Durante este exercício, espátulas de madeira individuais são empurradas uma após a outra entre os dentes da mandíbula superior e inferior e os músculos encurtados são estendidos por alguns minutos. Inicialmente são inseridas tantas espátulas de madeira quanto possível umas sobre as outras, correspondendo à abertura da boca atual. Após atingir esse número, uma espátula de madeira adicional é inserida e a extensão dos músculos esfincterianos é mantida. Este exercício pode ser repetido várias vezes ao dia. Normalmente, a abertura da boca pode ser aumentada em estágios de forma aceitável durante vários dias ou algumas semanas.

Uma indicação de restrição na abertura da boca é a regra dos dois dedos. Se o paciente não conseguir inserir os dedos indicador e médio ao mesmo tempo, um sobre o outro, entre as superfícies cortantes dos dentes da frente, isso é uma indicação de restrição na abertura da boca.


Outras medidas adicionais

  • Placa para contenção da mordida.

  • Relaxar a mandíbula por 60 segundos deixando a cair, então apertar brevemente (repita cinco vezes, três vezes ao dia).

  • Evitar fatores perpetuantes e causadores do problema (mascar pastilhas habitualmente, mascar unilateralmente, roer unhas, tensionar o masseter propositadamente).

  • Mastigar a goma de mascar de forma leve e no máximo por 5 minutos.

  • Automonitoramento pelo paciente, para controlar o apertamento da mandíbula durante o dia.

  • Técnicas de relaxamento (ex.: relaxamento muscular progressivo de Jacobsen, treino autógeno, técnica de Feldenkrais, yoga).


Referências bibliográficas:

  1. Elbarbary M, Oren A, Goldberg M, Freeman BV, Mock D, Tenenbaum HC, Azarpazhooh A. Masticatory Myofascial Pain Syndrome: Implications for Endodontists. J Endodontics 2022; 48(1): 56-69. https://doi.org/10.1016/j.joen.2021.10.004.

  2. Hammi C, Schroeder JD, Yeung B. Trigger Point Injection. [Updated 2022 Nov 25]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2023 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK542196/

  3. Irnich D. Myofascial Trigger Points. Comprehensive diagnosis and treatment. Churchill Livingstone. 2013

  4. Urits, I., Charipova, K., Gress, K., Schaaf, A. L., Gupta, S., Kiernan, H. C., … Viswanath, O. (2020). Treatment and Management of Myofascial Pain Syndrome. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology. doi:10.1016/j.bpa.2020.08.003

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page