Perpétua


O INTUITO DA POSTAGEM É EDUCACIONAL E SE BASEIA NOS CONHECIMENTOS DA MEDICINA TRADICIONAL. A AUTO-MEDICAÇÃO DEVE SER EVITADA E A AVALIAÇÃO MÉDICA É DESEJÁVEL ANTES DE SE UTILIZAR AS PLANTAS MEDICINAIS.


A perpétua é uma planta nativa de áreas áridas da região do Mediterrâneo. Suas flores amarelas são muito semelhantes às da camomila. Ele facilmente excede 50 centímetros de altura em seu habitat natural. A planta seca apenas na aparência, permanecendo viva o ano todo, daí seu nome. É um grande aliado para tratar doenças do sistema respiratório. Com suas flores você pode preparar um xarope expectorante para expelir o muco.


Nome científico: Helichrysum stoechas.

Nomes comuns: perpétua-da-areia, perpétua, perpétua-de-flores-encarreiradas, marcenilha.

Parte da planta utilizada: flores.

Composição: triterpenos, óleo essencial, flavonóides.

Ação farmacológica: antibacteriana, anti-inflamatória, expectorante.

Indicações: gripe, bronquite, gastrite, faringite.

Contraindicações: não use se houver qualquer doença da vesícula biliar.

Advertências: evitar durante a gravidez e lactação.


Modo de usar: aqueça meio litro de água e adicione 1 colher de sopa de perpétua. Tome 3 xícaras por dia após as refeições.


#fitoterapia #perpetua #medicinatradicional #medicinaintegrativa #saudeintegrativa #plantasmedicinais

Referências bibliográficas:


  1. López PM. Manual práctico de fitoterapia. Descripción de las plantas medicinales y preparación de remédios naturales. Guíasprácticas Nº 4. Plantasmedicinales.net, 2017

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo