Fatores mecânicos e outros fatores que perpetuam a síndrome dolorosa miofascial


Fatores mecânicos e outros fatores que perpetuam a síndrome dolorosa miofascial


Fatores estressantes mecânicos podem ser estruturais, posturais ou consequência do uso repetitivo.

As alterações estruturais podem levar ao uso excessivo de um músculo ou grupo muscular como forma de compensação de um desequlíbrio muscular, de uma assimetria de uma

determinada estrutura do corpo ou de uma frouxidão articular (congênita ou adquirida). As alterações posturais, da mesma forma, promovem uma sobrecarga muscular pois

os movimentos naturais são desfavorecidos biomecanicamente. O uso repetitivo contribui para a manutenção da dor miofascial, especialmente quando o movimento executado não é adequado, como em um gesto esportivo executado de forma inadequada.


Sindrome de Ehlers-Danlos

A síndrome de Ehlers-Danlos é um distúrbio genético do colágeno que é caracterizado pela hipermobilidade articular e pela presença de dor musculoesquelética. A presença da hipermobilidade é um fator que pode perpetuar a síndrome dolorosa miofascial


Postura da cabeça para a frente

A anteriorização da cabeça ou postura da cabeça para a frente é um importante fator de risco para a dor no pescoço, dor na articulação temporomandibular, cefaleia e alteração de toda a coluna vertebral. Esta postura alonga os músculos da face ventral do pescoço, encurta os músculos extensores da porção posterior do pescoço, leva a fraqueza dos músculos em desvantagem biomecânica e sobrecarrega as articulações zigoapofisárias cervicais. Toda esta condição promove a perpetuação da dor miofascial se ela não for resolvida.


Fatores ergonômicos

A posição inadequada da estação de trabalho com o computador pode levar a uma postura inadequada e ao desfavorecimento da ação de determinados músculos, predispondo à formaçlão dos pontos gatilhos miofasciais. O ajuste ergonômico adequado deve ser feito para a resolução dos pontos gatilhos miofasciais.


Presença de alteração da percepção corporal

O sedentarismo, a dor crônica e a presença de alguma doença neurológica pode levar a uma alteração da percepção sensorial e motora, levando a uma alteração da ativação muscular e à predisposição à perpetuação do quadro doloroso.


Infestação por protozoário

A infeção por alguns parasitas pode se manifestar com mialgia e dor em determinados pontos gatilhos, por isso, investigar a possível presença deste tipo de infecção pode ser necessário.


Privação de sono

A insônia prejudica a reparação tecidual, inclusive das fibras musculares, podendo afetar seu metabolismo e a qualidade das proteínas contráteis.


#dormiofascial #pontogatilhomiofascial #dor #dorcrônica #dormuscular #reabilitação #fisiatria


Referência bibliográfica:

Donnelly, JM. et al. Dor e disfunção miofascial de Travell, Simons& Simons. Manual de pontos-gatilho. 3ª edição. Artmed. Porto Alegre. 2020

0 visualização

Todos os Direitos Reservados ©2019 by medicofisiatra.com.br. Para uso de algum dos conteúdos entrar em contato conosco.