Base teórica da terapia dietética pela Medicina Tradicional Chinesa


A dietoterapia energética ou dietoterapia chinesa atua na prevenção e no tratamento de doenças agudas e crônicas. O termo "dieta" revela a conexão entre a percepção ocidental e oriental sobre o tema. A palavra dieta deriva do termo grego "diaita", que significa cuidados com a vida, estilo de vida ou modo de vida.

De acordo com Su Wen: "Quando o corpo está muito fraco, o terapeuta deve usar alimentos para repor o déficit".

Sun Si Miao da Dinastia Tang (618–907 d.C.) enfatizou ainda mais o importante papel da terapia dietética: “A terapia dietética deve ser o primeiro passo quando se trata de uma doença. Somente quando isso não der certo, deve-se tentar medicamentos".

A terapia nutricional tem como objetivos:

  • “Cuidado com a vida” - Tao

  • Prevenção de doenças

  • Terapia para doenças agudas

  • Terapia para doenças crônicas

O conceito de energia - Qi

Conhecida como Qi, a força vital ou a energia vital é de fundamental importância dentro da Medicina Tradicional Chinesa. Quando o Qi está em quantidade suficiente e flui de forma suave no organismo, isso significa vitalidade, saúde e integridade do funcionamento do corpo. A deficiência de Qi reduz a qualidade de vida geral e provoca o desenvolvimento da doença.

O Qi é formado por três fontes principais de energia:

  • Essência congênita (Jing)

  • Qi dos alimentos (Gu Qi)

  • Qi torácico (Zong Qi)


Essência congênita (Jing)

A essência herdada dos pais, armazenada nos rins, fornece a base para todos os processos da vida e processos de maturação no corpo. A quantidade e a qualidade do Jing são determinadas no nascimento. Como essa reserva de energia não pode ser reabastecida, recomenda-se um gerenciamento cuidadoso dessa energia. O mínimo de Jing possível deve ser usado para atender às necessidades diárias de energia, devendo ser evitado estilo de vida desregrado, vida sexual hiperativa, uso de drogas pesadas, excesso de estresse ou preocupação e jejum prolongado.


Essência dos alimentos (Gu Qi)

O Gu Qi se desenvolve durante o primeiro estágio de transformação, à medida que o Estômago e o Baço-Pâncreas processam os alimentos. A qualidade do Gu Qi recém-formado depende da pureza dos alimentos ingeridos (se possível, frescos e não processados ​​ou desnaturados) e das condições dos órgãos digestivos (Estômago e Baço-Pâncreas). Se estes órgãos estão em um estado crônico ou agudo de fadiga, a quantidade e a qualidade do Gu Qi são prejudicadas, o que leva à uma condição de debilidade geral, com tendência a sintomas crônicos de deficiência.

Como o Gu Qi é uma fonte de energia renovável, ele desempenha um papel fundamental na medicina chinesa. Gu Qi representa a maior parte das energias renováveis o que significa que a terapia nutricional tem importante função dentro do tratamento das doenças na Medicina Tradicional Chinesa.


Qi torácico (Zong Qi)

A cada respiração, o Zong Qi contribui para a energia total do corpo, constituindo cerca de um terço da energia renovável total. A respiração adequada e o ar limpo melhoram sua qualidade energética. As técnicas chinesas antigas podem contribuir para o aumento do Zong Qi por meio de exercícios respiratórios específicos, como Qi Gong, Tai Chi ou exercícios das artes marciais.


As três fontes de energia (Jing, Gu Qi e Zong Qi) se fundem no Qi Verdadeiro (Zhen Qi), que flui através do corpo em canais como Qi nutritivo ou construtivo (Ying Qi) e Qi defensivo (Wei Qi).

Esses conceitos básicos destacam a necessidade do uso de vários princípios terapêuticos complementares na Medicina Tradicional Chinesa.

A acupuntura influencia especialmente o Zhen Qi, no entanto, ela não suplementa o Qi em um paciente e, em vez disso, move o Qi, o equilibra e dispersa a estagnação. Dessa forma, antes do emprego do tratamento da acupuntura para as deficiências de Qi, Yang ou Yin, pode ser necessário inserir modalidades terapêuticas que envolvam medidas dietéticas e ervas chinesas para suplementar o Qi, o Yin, o Yang, os Fluídos Corporais e o Sangue. Estes constroem a base para o tratamento eficaz da acupuntura.


#acupuntura #mtc #fisiatria #medicofisiatra

Referências:

  1. Gongwnag, L. Tratado contemporâneo de acupuntura e moxibustão - métodos de acupuntura e manipulações. 1ª edição. Roca 2010

  2. Kastner, J. Chinese Nutrition Therapy - Dietetics in Traditional Chinese Medicine. Thieme 2004

  3. O'Connor, J. Bensky, D. Acupuntura - um texto compreensível. 1ª edição. Roca 1996

  4. Yamamura, Y. Acupuntura tradicional - a arte de inserir. 2ª edição. Roca 2004

  5. Yamamura, Y. Yamamura, ML. Acupuntura. Manole 2014

170 visualizações

Todos os Direitos Reservados ©2019 by medicofisiatra.com.br. Para uso de algum dos conteúdos entrar em contato conosco.