10 maneiras de usar plantas medicinais


Embora a infusão seja a forma mais difundida de tomar as plantas medicinais, existem muitos outros jeitos diferentes de usar as plantas medicinais. A escolha da melhor forma depende do efeito desejado e dos ingredientes ativos contidos na planta.


Abaixo está a lista das formas de uso das plantas medicinais.


1. Infusão


É a forma mais conhecida e utilizada no mundo, geralmente, na forma de chá, que é a bebida natural mais consumida no mundo, depois da água.

A forma de preparo é bem simples.

Aqueça a água para ferver, retire do fogo e adicione 1 a 2 colheres de chá da planta.

Cubra e deixe descansar por 5 a 10 minutos.

Alguns exemplos de plantas utilizadas são a hortelã e a camomila.


2. Maceração


A maceração consiste em embeber a planta medicinal pelo tempo suficiente para a extração da mucilagem, que é uma secreção rica em polissacarídeos e que retém água, gerando um tipo de gel, que, geralmente, pode ser utilizado de forma tópica.

Não é um método muito utilizado na fitoterapia.

As mais conhecidas são as sementes de linho e chia.


3. Decocção


Este método consiste em cozinhar a parte da planta em água para aproveitar o seu conteúdo mineral e excluir os princípios ativos voláteis.


Exemplos de plantas utilizadas para esta forma são a cavalinha, salsaparrilha e salsão.


4. Óleo essencial


O óleo essencial contém todos os ingredientes ativos da planta com alta concentração, por isso, seu uso interno, inclusive via oral, deve ser evitado.

Seu uso é externo, especialmente para realização de massagens e algumas doenças de pele.

Os ingredientes ativos da planta são diluídos em um óleo carreador (óleo de amêndoas doces, azeite de oliva, etc.), e possuem diversas propriedades: relaxante, estimulante, cicatrizante, etc.


Algumas plantas das quais o óleo essencial é obtido são o alecrim, a lavanda e o tomilho.


5. Tintura


A tintura consiste na extração dos princípios ativos da planta com álcool ou alguma bebida alcoólica.

A dose de tintura varia de algumas gotas a uma colher de chá dissolvida em um pouco de água. Geralmente é tomado com o estômago vazio.

Em alguns casos, também possui aplicações para uso externo.


As plantas utilizadas para a tintura, a erva-doce, a hortelã, o orégano.


6. Oleato (Óleos de infusão)


O oleato é semelhante à tintura, só que o método de extração dos ingredientes ativos é através de algum tipo de óleo, preferencialmente após a primeira prensagem ao frio.

A maioria dos oleatos é aplicada externamente, em massagens e em tratamentos de pele.

Pode ser considerada uma alternativa “caseira” à mistura de óleo essencial e de óleo transportador, pois é menos concentrada.


A arnica, a calêndula e a camomila podem ser plantas utilizadas para a produção de oleatos.


7. Óleo preparado pela primeira pressão fria


Consiste em extrair a porçãooleosa da planta exclusivamente por prensagem, sem aquecimento da matéria-prima.

Assim, a maioria de suas propriedades, vitaminas, antioxidantes e enzimas são preservadas.


Plantas com alto teor de óleo são as amêndoas, o girassol e a rosa mosqueta .


8. Cápsulas


Esta apresentação geralmente inclui plantas que têm mau cheiro ou gosto ruim, o que tornaria desagradável a ingestão direta, embora uma vez no estômago, as cápsulas se dissolvam rapidamente, liberando seu conteúdo.


Nesta categoria estaria o açafrão, o dente de leão e a valeriana.


9. Comprimidos


Os comprimidos são formados pela preensão das plantas e dos seus princípios ativos.


Exemplos destes são a alfafa, as algas chlorella, e a urtiga.


10. Gotas


E por fim, há os extratos aquosos, alcoólicos, hidroalcoólicos e outros solventes orgânicos, que contêm os princípios ativos da planta em formato líquido.

As doses são geralmente 20 gotas ou 1 mililitro da preparação.


Referências bibliográficas:

  1. López PM. Manual práctico de fitoterapia. Descripción de las plantas medicinales y preparación de remédios naturales. Guías prácticas Nº 4. Plantasmedicinales.net, 2017

40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo